Conhece a ti mesmo?

Nós temos uma maneira de agir e comportar. Nem sempre conseguimos perceber como atuamos, como repetimos nossas ações e comportamentos nas mais diversas situações. A repetição de situações análogas que passamos escapa a nossa vista e a falta do autoconhecimento impede que possamos notar essas sutilezas. Parece que é mais fácil notar esse movimento nos outros. Assim, somos bons observadores alheios, mas ruins na observação e identificação interna. Talvez seja um dos “n” motivos que levam mais e mais pessoas procurarem terapia. E sejamos sinceros, conhecimento não faz mal a ninguém e ainda mais nesse caso, onde conseguimos conhecer um pouco mais de nós mesmos. A agitação do dia a dia não permite espaço para reflexão, espaço para podermos ouvir a nossa vontade, pois estamos ligados a movimentos externos, dragados pelo mundo do trabalho com suas demandas intermináveis e que sugam as nossas energias, e paradigmas de comportamento que seguimos, mas sem saber por quê.  Porém é necessário ir contra a corrente, parar e olhar para dentro, pois sem isso não iremos nos cuidar e podemos nos tornar aquela árvore velha que ao nos deparar com ela tem um sua casca aparentemente saudável, mas está podre por dentro.