A vida tem seu ciclo natural: nascer, crescer, reproduzir, envelhecer e morrer. Encarando de maneira simples e direta, seria dizer que há começo, meio e fim. O mesmo acontece em diversos assuntos. As relações, o trabalho, planos e metas, uma hora chegam ao fim ou têm de ser alterado de maneira substancial que não se parecem mais com o iniciado. Diferente da vida que finda com a morte, as demais situações vislumbram final totalmente diferente. O término representa o inicio de algo novo, mas que às vezes demoramos a entender por estarmos entorpecidos pela dor. Desde crianças ouvimos narrativas com final “felizes para sempre”. A felicidade não é eterna e a tristeza também não se apresenta ininterruptamente. Os momentos devem ser vivenciados e sentidos, pois assim saberemos dar valor a cada um desses sentimentos, e compreender que há algo novo a nossa espera. O nosso conto de fadas mudou, não há mais o mesmo desfecho. Mas a felicidade ainda estará em nosso horizonte. A tristeza faz parte da vida e contribui para momentos de reflexão e autoconhecimentos. Cabe saber aproveitar e tirar o melhor de cada situação.